6 Dias
Duração
Lisboa
Localização

Rota Judaica em Portugal perfeito  para quem conhecer e compreender um pouco melhor a enorme importância dos Judeus em Portugal, nas raízes do País até aos dias de hoje.

Seis dias inesquecíveis percorrendo o centro e norte de Portugal de pequenas aldeias ás maiores cidades.

Nº Pessoas 2 3 4 5 6 7 8
Preço Total 1850€ 1900€ 2000€ 2150€ 2280€ 2390€ 2500€

LOCAL DE PARTIDA Hotel/Apartamento, Lisboa
HORA DE PARTIDA Os dias começam pelas 9:00 AM aproximadamente
TEMPO DE RETORNO Os dias terminam pelas 18:00 aproximadamente
INCLUÍDO
Guia credenciado e exclusivo

Surpresa em cada dia ( visita ou degustação )

Refeições e dormidas do Guia

Águas Grátis

Wifi Grátis

Viatura extremamente confortável

NÃO INCLUÍDO
Refeições

Passagens Aéreas

Hoteis

Entradas em monumentos

Quando nasce Portugal em 1143, esta minoria já se encontrava disseminada em algumas localidades importantes como Santarém que possuía a mais antiga sinagoga  com um crescimento da  população judaica , favorecida com a necessidade de povoar a terra conquistada aos Mouros, sendo a sinagoga era a sede do governo da comuna.
No Séc. XIV cada comuna tinha uma ou mais judiarias,  o rabi-mor tinha delegado seus, chamados ouvidores, nos principais centros judaicos do pais: Porto (Região de Entre Douro e Minho); Torre de Moncorvo (Trás-os-Montes); Viseu (Beira); Covilhã (Beira/Serra da Estrela); Santarém (Estremadura); Évora (Alentejo) e Faro (Algarve), os ouvidores exerciam verdadeira jurisdição sobre todas as comunidades judaicas nacionais.
A sinagoga era um local tão importante do ponto de vista religioso (como era a igreja para os cristãos) quanto civil; era lugar de assembleia e reunião dos membros da comuna.

Inicio

Sua chegada a Lisboa

A nossa Rota Judaica em Portugal, começa com a vossa chegada, onde ainda durante o transfer, no caminho lhes damos umas dicas da cidade bem como restaurantes ou outros locais interessantes junto ao Hotel.
1ºDia

Lisboa

Iremos começar por Lisboa, onde visitaremos a antiga Judiaria em Alfama a parte mais antiga de Lisboa, com suas ruelas e becos, esta antiga Medina Árabe após a reconquista cristã no Séc XII a civilização árabe que viveu aqui foi transferida para outra colina e a aí nasceu o Bairro da Mouraria para descobrir Alfama é mergulhado na autenticidade Português.

O fado, a música portuguesa mais típica e carismática, nasceu neste bairro, esta estranha melancolia a que portugueses que chamaram de saudade.

Seguindo vamos chegar ao Castelo de São Jorge, outro dos poucos vestígios físicos da civilização árabe em Portugal, depois da visita a caminho da Baixa, não sem antes deslumbrar a Catedral de Lisboa, com arquitectura Românica,construida no Séc. XII, onde pedido ainda de conquistas, tempo para conhecer o local onde nasceu o santo casamenteiro, Santo António, este santo de origem Portuguesa.

Na Baixa de Lisboa, local mais devastado com o grande terramoto de 1755 que devastou Lisboa, tempo apara entender a importância da arquitetura Pombalina, onde os edifícios foram reconstruídos de uma forma completamente diferente, uma area mais ampla com muitas ruas e praças, isto já prevendo um novo terramoto se utiliza construção anti-sísmica do sec.. XVIII, Marquês de Pombal, foi o estadista responsável pela reconstrução de Lisboa, bem como todas as mudanças econômicas e sociais nascidas após o terremoto.

Cruzando a Avenida da Liberdade até chegarmos á praça Marquês de Pombal onde iremos parar junto ao Parque Eduardo VII e tentar entender a relação e os tratados entre Portugal e Inglaterra e a importância desta relação no futuro do Brasil e apreciar esta fantástica vista.

Depois de almoço nosso Tour de Lisboa, continua para Belém, um autentico livro aberto durante período da expansão marítima dos Portugueses,  lugar dos antigos estaleiros e portos de Lisboa, daqui sairam corajosos exploradores portugueses no século XV descobrindo as rotas marítimas para a Índia, África e Brasil, comemorando este passado glorioso, financiado pela vasta riqueza que fluía para Portugal das colônias.

Aqui vamos então visitar estes três importantes Monumentos; A Torre de Belém, Mosteiro dos Jerónimos e o Padrão dos Descobrimentos, sendo a última paragem será na fábrica dos pasteis de Belém, para degustar este fabuloso doce conventual que atrai milhões de pessoas todos os anos.

Pastel de Belém

Pernoita em Lisboa

2ºDia

Lisboa - Tomar - Castelo Branco - Covilhã

Saindo de Lisboa em direção a Tomar onde iremos visitar a sua Sinagoga centenária, em épocas anteriores à expulsão a que foram sujeitos os Judeus por D. Manuel I, a Sinagoga construída entre 1430 e 1460 um edifício de planta quadrangular, com 9,50 metros de fundo por 8,25 de largo, a mais antiga em Portugal.

A construção do Convento de Cristo iniçia-se com o castelo templário, na vanguarda da arquitetura militar medieval do mesmos período a Charola, românica, inspirada na Igreja do Santo Sepulcro de Jerusalém e que assumia a dupla função de oratório e de atalaia militar. Quando a Ordem Militar do Templo foi extinta, D. Dinis, em Portugal, cria a Ordem Militar de Cristo, que vem a ser herdeira dos bens, graças e privilégios que haviam pertencido aos templários.

Continuando nossa Rota Judaica em Portugal chegamos Castelo Branco, onde a Casa da Memória Judaica em Castelo Branco, situada na rua das Olarias é visita obrigatória, um espaço museológico, dividido em diferentes áreas retratando a presença judaica nesta cidade, bem como distinguir algumas personalidades como Amato Lusitano ou Afonso de Paiva.

Chegada a Covilhã, a quantidade de Portugueses Judeus ou de origem Judaica na Covilhã ligados à epopeia dos descobrimentos e expansão portuguesa, é caso único nesta localidade, até mesmo Pêro da Covilhã, explorador e preparador do caminho marítimo para a Índia, seria de origem cristã-nova; também o famoso João Ramalho, primeiro bandeirante no Brasil, teria origem judaica da Covilhã.

Entradas no convento de Cristo em Tomar

Pernoita na Covilhã

3ºDia

Covilhã - Belmonte - Guarda

Começamos nosso dia em direção a Belmonte, esta importante vila onde não se conhece muito acerca da primitiva presença judaica em Belmonte, no entanto, o contributo deles para a história da Vila é absolutamente indiscutível, ainda na actualmente, mas também pelos inúmeros vestígios deixados por comunidades anteriores. Quando se destruiu a Igreja de S. Francisco, no Largo António José de Almeida, em 1910,se encontrou uma pedra da primeira sinagoga de Belmonte datada de 1297.

Pela lápide encontrada, sabe-se que Belmonte já teria uma comunidade de Judeus, certamente importante e numerosa, pois só assim se justificaria a presença de um local de culto. Visita á Sinagoga bem como ao Museu Judaico. Continuando nossa rota judaica em Portugal chegamos á Guarda, onde comuna judaica da Guarda foi durante longos períodos uma das mais importantes do país e é considerada uma das mais antigas.

Entradas no Museu Judaico

Pernoita na Guarda

4ºDia

Lamego - Vale Do Douro - Amarante - Porto

Começamos nosso dia com a visita a Lamego, desde o sec. XIV que os judeus da então importante cidade de Lamego ocupavam a área entre o castelo e a igreja de Stª. Maria de Almacave, no século seguinte os bairros judeus eram já dois; o mais antigo (judiaria da velha), localizado junto á Porta do Sol, o que correspondia à judiaria nova ou do fundo junto do adro da igreja citada.

Neste dia nossa Rota Judaica em Portugal, leva-nos também a visitar um dos mais importantes pontos turísticos em Portugal, o Vale do Douro onde poderão visitar e conhecer um dos mais importantes produtos Portugueses o vinho do Porto e admirar uma vista de cortar o fôlego no Miradouro de Casal de Loivos e visitar a estação de comboio do Pinhão onde os 24 painéis de azulejos nos mostram o trabalho árduo na produção do precioso néctar. Esta região foi considerada pela Unesco como património da humanidade em 2001.

E agora a razão que nos trouxe ao Vale do Douro, a visita uma Quinta, onde vamos entender todo este processo, desde o cultivo, a poda, a vindima, até ao tão esperado produto final o vinho e com certeza que no final iremos em conjunto ter a mesma opinião, o tanto que custa a produção do mesmo é claro que para além de tanta conversa, chega a vez de provar o mesmo.

Visita e degustação em Quinta Produtora

Pernoita no Porto

5º Dia

Porto

Dia passado na cidade no Porto. A cidade do Porto, que desde o início da nacionalidade Portuguesa possuía inúmeras judiarias, viu D. João I, em 1386, mandar concentrar os judeus no bairro do Olival, dentro das muralhas medievais. A nova judiaria confinava com duas das portas dessa muralha, locais ainda hoje referenciáveis: a do Olival e a das Escadas da Esnoga.

A Sinagoga situava-se no local do actual convento de S. Bento da Vitória. Visita á Sinagoga, bem como a todos os locais de importante interesse turístico. Possível visita a uma das Caves onde o Vinho do Porto repousa depois de ter vindo do Vale do douro, bem com uma degustação é claro.

Já na Baixa do Porto, pela avenida dos Aliados tendo com a prefeitura como edifício mais emblemático, bem como a estátua de Dom Pedro I do Brasil, o que demostra o amor do mesmo pela cidade, uma vez que aqui deixou o coração.

Logo de seguida nosso dia nos levará a visitar uma das mais famosas e belas livrarias em todo o mundo a livraria Lello, razão que levou a um dos filmes do celebre Harry Potter ter sido inspirado nesta livraria extremamente charmosa com o interior parecendo madeira, de seguida a Catedral do Porto com uma vista fantástica da cidade, o Palácio da Bolsa, a Igreja de São Francisco entre outros.

Vamos cruzar a Ponte de D. Luis, para Gaia onde iremos visitar uma das caves do Vinho do Porto, para entender todo o processo  da produção deste vinho único que é o vinho do Porto, bem próximo temos o Mosteiro da Serra do Pilar com uma vista deslumbrante da cidade do Porto bem como a foz do rio Douro.

Passeio de Barco no Douro

Pernoita no Porto

6ºDia

Porto - Aveiro - Nazaré - Óbidos - Lisboa

Saída do Porto para VENEZA !!!… Portuguesa,a Veneza Portuguesa com seus canais, anteriormente utilizados para o transporte do sal e da moliça, explorar o seu centro histórico com inúmeros edifícios Art Nouveau todos catalogados, bem como o seu mercado contudo por Gustavo Eiffel, isso mesmo o mesmo que construiu a Torre Eiffel.

Tempo para conhecer e experimentar a sua doçaria tradicional, os “ ovos moles”, possível passeio de barco Moliceiro esse pequenos barcos que quase se assemelham a gôndolas. Visita ás salinas, a industria do Sal, continua a ser importante neste centro que durante muitos anos se dedicou á salga do bacalhau.

Os palheiros da Costa Nova são famosas e castiças casas de riscas existentes na praia , originalmente em tons de vermelho ocre e preto, utilizados como antigos armazéns de alfaias da pesca, mais tarde. As famílias dos seus sócios, escrivães e “arrais” de outras companhias foram sendo atraídas para a zona nos meses de verão e outono, transformando-os nos atuais “palheiros”, com riscas coloridas, bem à “moda burguesa de ir a banhos” da segunda metade desse século, para que pudessem servir como habitação na estação balnear.

Continuando nosso passeio chegamos então á vila piscatória da Nazaré ( a mais carismática vila piscatória em Portugal ), onde podemos ver a seca do peixe na praia, bem como a vida das senhoras das “sete saias”orgulhosamente mostrado pelas próprias. Hoje a Nazaré é também conhecida pelas suas ondas gigantes, sim as maiores ondas no Mundo são aqui em Portugal.

Tudo graças ao fenómeno do Canhão da Nazaré, ondas fenomenais que fizeram a Nazaré famosa em todo o mundo, em 2013 o surfista americano McNamara quebrou o recorde mundial ao surfar uma onda de cerca de 30 metros de altura, mediante o período do ano podemos ver-las com os nossos olhos.

Em Óbidos, ( património mundial da Unesco ), iremos  fazer uma viagem no tempo até ao período medieval e explorar as belas e estreitas ruas caiadas de branco que Óbidos têm para nos oferecer.

Óbidos pertenceu ao pentagono defensivo dos cinco Castelos, isto pelas mãos dos Templários, mais tarde usado como um presente de casamento de D. Dinis para sua esposa D. Isabel, a vila se tornou parte da Casa das Rainhas, a maioria das rainhas portuguesas em Portugal aqui se financiavam, deixando lá também grandes benefícios D. Catarina manda construir o aqueduto e as fontes.

Ginja de Óbidos

Pernoita em Lisboa

Final

Transfer para o aeroporto

Castelo de Óbidos
Sinagoga Tomar
Castelo de Óbidos
Amarante
Avenidas dos Aliados Portugal

Tour Reviews

5.00 based on 1 review
12 Dezembro, 2018

Gostaria de fazer a rota judaica

14 Janeiro, 2019

Olá Sra. Neia, teríamos todo o gosto em ser os vossos anfitriões nesta visita a Portugal.
Envie-nos um email para hugo.walkborder@gmail.com
Obrigado
Hugo Gonçalves

Leave a Review

Rating